Tarefas Investigativas nos Anos Iniciais: Estratégias e Conjecturas Desenvolvidas Pelas Crianças

Autores

  • Márcia Jussara Hepp Rehfeldt Universidade do Vale do Taquari, Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências Exatas. RS, Brasil.
  • Bruna Zanoni Ruthner Universidade do Vale do Taquari. RS, Brasil.
  • Ieda Maria Giongo Universidade do Vale do Taquari, Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências Exatas. RS, Brasil.
  • Marli Teresinha Quartieri Universidade do Vale do Taquari, Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências Exatas. RS, Brasil.
  • Sônia Elisa Gonzatti Universidade do Vale do Taquari, Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências Exatas. RS, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.17921/2176-5634.2021v14n2p163-172

Resumo

Resumo
A Investigação Matemática é uma tendência de ensino cada vez mais explorada nas aulas de matemática dos anos iniciais. Sendo assim, este artigo tem como objetivo relatar as estratégias e conjecturas desenvolvidas por alunos de 1º, 2º, 3º e 5º anos do Ensino Fundamental quando foram desafiados a resolver tarefas de cunho exploratório-investigativo. Estas foram desenvolvidas em parceria com as professoras dos anos iniciais e, posteriormente, exploradas com alunos no segundo semestre de 2018. A prática foi realizada em duas escolas, sendo as tarefas exploradas pelas pesquisadoras, auxiliadas pelas docentes dos anos iniciais. Tal exploração seguiu os quatro momentos propostos por Ponte, Brocardo e Oliveira (2009). O material de análise foi coletado por meio de tarefas escritas dos discentes e imagens oriundas de fotografias. Os resultados apontam que as conjecturas e estratégias apresentadas pelas turmas de 1º, 2º, 3º e 5º anos, nas duas tarefas, foram distintas e mais elaboradas conforme a escolaridade dos alunos. Na primeira (copos e canudos), os estudantes propuseram padrões de repetição (1º ano); adição de canudos (2º ano); ideia dos números pares e ímpares (3º ano) e a tabuada do três (5º ano). Na segunda, a sequência de flechas e as conjecturas perpassaram por repetições de blocos (1º ano); uso de distintas direções (2º ano) e adições do número de setas dentro dos quadrados. Em contrapartida, observou-se alguma dificuldade na realização das tarefas em grupo (1º ano) e uma certa dispersão.

Palavras-chave: Investigação Matemática. Anos Iniciais. Tarefa Investigativa.

Abstract
Mathematical Investigation is becoming a widespread teaching trend in primary school math classes. Therefore, this article aims to report the strategies and conjectures employed by 1st, 2nd, 3rd and 5th grade elementary students to solve exploratory-investigative tasks. These tasks were created in collaboration with Primary School teachers and later explored with students during the second semester of 2018. The pedagogical practice took place in two schools. The researchers explored the tasks with the assistance of the Primary School teachers. This investigation is based on the concepts suggested by Ponte, Brocardo, and Oliveira (2009). The students' written assignments and photographs were used to collect the material. The results of both tasks indicate that the conjectures and methods used by 1st, 2nd, 3rd and 5th grade elementary students were distinct and more elaborated as the students' grade increased. In the first challenge (cups and straws), students proposed repetition patterns (1st year); addition of straws (2nd year); the concept of even and odd numbers (3rd year) and the multiplication table of three (5th year). In the second task (sequence of arrows), the methods and conjectures used by the students were based on repetitions of blocks (1st year); the use of different directions (2nd year) and the inclusion of the number of arrows inside the squares. Finally, due to dispersion, there was some difficulty executing group activities in the first year.

Keywords: Mathematical Investigation. Primary School. Investigative tasks.

Downloads

Publicado

2021-09-27

Edição

Seção

Artigos