Uso de Gráficos Estatísticos por Futuros Professores dos Primeiros Anos na Realização de Trabalhos de Projeto

Autores

DOI:

https://doi.org/10.17921/2176-5634.2020v13n4p394-401

Resumo

Resumo
Neste artigo analisam-se os gráficos estatísticos contruídos por estudantes, futuros professores dos primeiros anos escolares, no âmbito da realização de trabalhos de projeto de natureza investigativa. Os gráficos estatísticos são uma componente importante da literacia estatística ao possibilitarem representar e extrair informação que, por sua vez, permitem resumir, generalizar e revelar tendências nos dados representados. Participaram no estudo 56 estudantes do 2.º ano do curso de Licenciatura em Educação Básica, de uma universidade do Norte de Portugal, sendo a sua formação matemática à entrada na universidade muito variada. Para a realização dos trabalhos de projeto os estudantes organizaram-se em pequenos grupos, sendo os dados usados na investigação, ou seja, os gráficos estatísticos, obtidos a partir dos relatórios dos trabalhos de projeto elaborados pelos respetivos grupos. Em termos de resultados do estudo, destaca-se que os estudantes recorreram, sobretudo, a gráficos de barras (simples e múltiplos) e gráficos circulares para representarem os dados, maioritariamente relativos a variáveis estatísticas qualitativas. Já as dificuldades dos estudantes na construção dos gráficos não foram comuns a muitos estudantes, salientando-se a união das barras nos gráficos de barras, o uso de gráficos de linhas para representar dados de variáveis qualitativas e a ausência de etiquetas nos gráficos.

Palavras-chave: Gráficos Estatísticos. Trabalhos de Projeto. Futuros Professores. Primeiros Anos Escolares.

Abstract
In this article are analysed the statistical graphs constructed by students, prospective primary school teachers, in the scope of carrying out investigative project works. Statistical graphs are an important component of statistical literacy as they make it possible to represent and extract information that, in turn, allows to summarize, generalize and reveal trends in the data represented. 56 students from the 2nd year of the Basic Education Degree course, from a university in Northern of Portugal, participated in the study, with a mathematical training at university entering very varied. To carry out the project work, the students were organized in small groups and the data used in the investigation, that is, the statistical graphs, were obtained from the reports of the project works prepared by the respective groups. In terms of the results of the study, it is noteworthy that students used, above all, bar graphs (single and multiple) and pie charts to represent the data, mostly related to qualitative statistical variables. The difficulties of the students in the construction of the graphs were not common to many students, noting the union of the bars in the bar graphs, the use of line graphs to represent data of qualitative variables and the absence of labels in the graphs.

Keywords: Statistical Graphs. Project Works. Prospective Teachers. Primary School.

Biografia do Autor

José António Fernandes, Universidade do Minho

Departamento de Estudos Integrados de Literacia, Didática e Supervisão

Maria Helena Martinho, Universidade do Minho

Departamento de Estudos Integrados de Literacia, Didática e Supervisão

Gabriela Gonçalves, Instituto Politécnico do Porto

Departamento de Matemática

Referências

Arteaga, P., Batanero, C., Cañadas, G., & Contreras, J. M. (2011). Las tablas y gráficos estadísticos como objetos culturales. Números, 76, 55-67.

Brown, C., & Borko, H. (1992). Becoming a mathematics teacher. Em D. Grouws (Ed.), Handbook of research on mathematics teaching and learning (pp. 209–239). New York, NY: Macmillan.

Friel, S., Curcio, F., & Bright, G. (2001). Making sense of graphs: critical factors influencing comprehension and instructional implications. Journal for Research in Mathematics Education, 32(2), 124-158.

Diniz, L. N., & Fernandes, J. A. (2016). Interações entre construção e interpretação de gráficos estatísticos em projetos de modelagem matemática com uso de tecnologias de informação e comunicação. VIDYA, 36(2), 457-475.

Estepa, A. (2007). Caracterización del significado de la correlación y regresión en estudiantes de educación secundaria. Zetetiké, 15(28), 119-152.

Fernandes, J. A. (1990). Concepções erradas na aprendizagem de conceitos probabilísticos. Dissertação de mestrado, Universidade do Minho, Braga, Portugal.

Fernandes, J. A., & Freitas, A. (2019). Selection and application of graphical and numerical statistical tools by prospective primary school teachers. Acta Scientiae, 21(6), 82-97.

Fernandes, J. A., Batanero, C., & Gea, M. M. (2019). Escolha e aplicação de métodos estatísticos por futuros professores dos primeiros anos. In J. M. Contreras, M. M. Gea, M. M. López-Martín, & E. Molina- Portillo (Eds.), Actas del Tercer Congreso Internacional Virtual de Educación Estadística. Granada: Universidade de Granada.

Fernandes, J. A., Morais, P. C., & Lacaz, T. V. S. (2011). Representação de dados através de gráficos estatísticos por alunos do 9º ano de escolaridade. Anais da XIII Conferência Interamericana de Educação Matemática, Recife, Brasil, 26-30 junho de 2011.

Godino, J. D., Arteaga, P., Estepa, A., & Rivas, H. (2013). In J. M. (2013). Contreras, G. R. Cañadas, M. M. Gea, & P. Arteaga (Eds.), Actas de las Jornadas Virtuales en Didáctica de la Estadística, Probabilidad y Combinatoria (pp. 173-180). Granada, Departamento de Didáctica de la Matemática de la Universidad de Granada.

Gonçalves, G., Fernandes, J. A., & Gonçalves, J. J. (2020). Learning Hypothesis Testing Through a Project Work Methodology. In F. Soares, A. Lopes, K. Brown, & A. Uukkivi (Eds.), Developing Technology Mediation in Learning Environments (pp. 221-238). Hershey, PA: IGI Global.

Ministério da Educação e Ciência. (2013). Programa de matemática para o ensino básico. Lisboa: Autor.

Morais, P. C., & Fernandes, J. A. (2011). Realização de duas tarefas sobre construção, leitura e interpretação de gráficos estatísticos por alunos do 9º ano. In Actas do XXII Seminário de Investigação em Educação Matemática (XXII SIEM). Lisboa: Associação de Professores de Matemática.

Silva, A. A. (2006). Gráficos e mapas: representação de informação estatística. Lisboa: LIDEL.

Tukey, J. W. (1977). Exploratory data analysis. Reading: Addison-Wesley.

Wild, C., & Pfannkuch, M. (1999). Statistical thinking in empirical enquiry. International Statistical Review, 67(3), 223-248.

Downloads

Publicado

2021-02-11

Edição

Seção

Artigos