As Contribuições do PIBID na Construção da Identidade Profissional do Educador Matemático da UFF, UFTM e UFJF

Autores

DOI:

https://doi.org/10.17921/2176-5634.2019v12n1p119-132

Resumo

O presente artigo é um recorte de um projeto de pesquisa que investigou o processo de formação docente no âmbito do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID) da Universidade Federal Fluminense (UFF), Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM) e da Universidade Federal de Juiz de Fora (UJFJ). Aplicou-se questionário aos ex-bolsistas de iniciação à docência participantes das IES em estudo, com o objetivo de analisar as concepções de formação docente, identificar características, ações, impactos, opiniões e expectativas do processo de implementação do PIBID de Matemática das universidades. Como metodologias utilizaram-se, no recorte analisado neste texto, análise documental e de discurso dos discentes participantes da pesquisa, bem como a análise de dados multidimensionais, empregando o método de análise de similaridade aplicada ao discurso dos discentes, por meio do uso do software CHIC (Classificação Hierárquica, Implicativa e Coesitiva). Como conclusão, é possível afirmar que o PIBID da UFF, UFTM e UFJF promoveu a articulação e a aproximação entre a escola básica e a universidade; os licenciandos foram inseridos no seio da escola, promovendo uma formação na mão dos formadores (coordenadores de área e supervisores) através da relação dialética entre teoria e prática.

 

Palavras-chave: Educação. Formação de Professores de Matemática. Análise de Similaridade. PIBID.

 

Abstract

This article is a part of a research project that investigated the teacher training process within the Institutional Scholarship Program (PIBID) of Universidade Federal Fluminense (UFF), Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM) and Universidade Federal de Juiz de Fora (UJFJ). A questionnaire was applied to ex-scholarship students participating in the HEIs under study, with the objective of analyzing the conceptions of teacher education, identifying characteristics, actions, impacts, opinions and expectations of the process of implementation of Mathematics PIBID of the universities. The methodologies used in the section analyzed in this text were documentary and discourse analysis of the students participating in the research, as well as the analysis of multidimensional data, using the method of analysis of similarity applied to discourse of the students, through the use of software CHIC (Hierarchical, Implication and Coesitive Classification). As a conclusion, it is possible to affirm that the PIBIDs of UFF, UFTM and UFJF promote the articulation and the approximation between the basic school and the university; the graduates were inserted into the school, promoting training in the hands of the trainers (area coordinators and supervisors) through the dialectical relationship between theory and practice.

 

Keywords: Education. Training of teachers of Mathematics. Similarity analysis. PIBID.

 

Biografia do Autor

Fabiano dos Santos Souza, Universidade Federal Fluminense. RJ, Brasil.

FABIANO SOUZA é Doutor em Educação pela Faculdade de Educação da Universidade Federal Fluminense. Professor Assistente II da Universidade Federal Fluminense - UFF. Atualmente é Coordenador Adjunto na IES (UFF) do Curso de Especialização em Gestão Escolar (UFF/SEB/MEC/Ead) - Escola de Gestores. É integrante da equipe de professores do Mestrado Acadêmico em Ensino da UFF - INFES e da Especialização em Ensino de Matemática do Instituto de Matemática e Estatística da UFF ? IME. Mestre em Matemática pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro em março de 2007. Atua nas áreas de Educação Matemática, Educação Estatística e Políticas Educacionais. Atual membro dos Grupos de Pesquisas: (i) Grupo de Pesquisa em Políticas Públicas de Educação ? GRUPPE - FEUFF; (ii) Grupo de Pesquisa em Processo de Ensino e Aprendizagem em Matem ática - PEAMAT da PUC-SP; (iii) Ensino e Aprendizagem em Matemática e Estatística. Trabalha como membro do Grupo de Trabalho, o GT12 ? Ensino de Probabilidade e Estatística - (Educação Estatística), grupo que desenvolve pesquisas sobre Educação Estatística, filiado à Sociedade Brasileira de Educação Matemática - SBEM. Secretário da SBEM-RJ gestão (2013 - 2015).

Ailton Paulo de Oliveira Junior, Universidade Federal do ABC. SP, Brasil

Possui graduação em Ciências Estatísticas pela Escola Nacional de Ciências Estatísticas (1988), Licenciatura em Matemática pela Universidade Católica de Brasília (2005), Mestrado em Pesquisa Operacional pelo Instituto Militar de Engenharia (1991), Doutorado em Educação (Didática, Práticas Escolares e Técnicas de Ensino) pela Universidade de São Paulo (2003) e Pós-Doutorado em Educação pela Universidade de São Paulo (2009). Atualmente é professor associado do curso de Licenciatura em Matemática do Centro de Matemática, Computação e Cognição e do Programa de Pós-Graduação em Ensino e História das Ciências e da Matemática da Universidade federal do ABC - UFABC. É coordenador do Grupo de Estudos em Educação Estatística e Matemática - GEEM, certificado junto ao CNPq tendo como prioridade a discussão e o estudo de questões relativas à Educação Estatística e Matemática desde os anos iniciais do Ensino Fundamental até o Ensino Superior. É coordenador dos seguintes projetos de pesquisa: A utilização da metodologia de resolução de problemas no ensino de Estatística, Probabilidade e Análise Combinatória na Educação Básica e Avaliação das atitudes em relação ao ensino de Estatística de alunos do Bacharelado em Ciências e Tecnologia - BCT da disciplina de Introdução à Probabilidade e Estatística - IPE da Universidade Federal do ABC - UFABC. O foco dos trabalhos relaciona-se com as concepções e atitudes de professores e alunos em relação ao ensino de Probabilidade, Estatística e Matemática, Resolução de Problemas, Modelagem Matemática, jogos pedagógicos, tecnologias digitais contribuindo para o ensino e a história do ensino de Estatística.

Marco Aurélio Kistemann Junior, Universidade Federal de Juiz de Fora. MG, Brasil

Pesquisador e Líder do Grupo Pesquisa de Ponta (UFJF) e Pesquisador Colaborador do Grupo PEA-MAT-Processo de Ensino-aprendizagem da Matemática (CNPq) na Escola Básica da PUC-SP, possui graduação em Matemática pela Universidade Federal de Juiz de Fora (1999) e Mestrado em Educação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2004) com tema de pesquisa na área de Formação de Professores, Análise de erros e Avaliação em Matemática. Concluiu em 3 anos o Doutorado na Universidade Estadual Paulista (UNESP-Rio Claro- 2011) em Educação Matemática com tema referente à Educação Financeira, Produção de Significados e Educação Matemática Crítica. Ex-professor efetivo de Matemática da Educação de Jovens e Adultos da Rede Municipal e Estadual de Ensino em Juiz de Fora-MG com 15 anos de atuação e experiência na Educação Básica e na Educação de Jovens e Adultos (EJA). Atualmente é Professor Adjunto 4 da Universidade Federal de Juiz de Fora no Departamento de Matemática e Professor da Linha de Pesquisa 1 (Formação de Professores de Matemática) do Mestrado Profissional em Educação Matemática (UFJF) e do Mestrado Profissional em Gestão Escolar e Avaliação do CAED/UFJF com dezenas de orientações de mestrado, especialização e iniciações científicas concluídas. Atua em Disciplinas Presenciais e na Educação a Distância (Cead/UFJF) no Departamento de Matemática-UFJF-ICE. Tem vasta experiência na área de Educação Básica e Educação Matemática, com ênfase em Avaliação de Sistemas, Instituições, Planos e Programas Educacionais, Currículo de Matemática, Educação Financeira e Tomada de Decisões, Avaliação da Aprendizagem e Análise de Erros com artigos, ensaios e resenhas em vários periódicos nacionais e internacionais. Desde 2011 orienta pesquisas no Mestrado Profissional em Educação Matemática com temas da Educação Financeira, Avaliação (em larga de escala/aprendizagem) e Formação de Professores de Matemática, Modelagem Matemática, Educação Especial e Arte, Cinema e Matemática. No Mestrado Profissional em Gestão Escolar e Avaliação do CAED/UFJF orienta pesquisas em avaliação em larga escala, gestão escolar, apropriação de resultados, alfabetização e letramento matemático. É Parecerista ad hoc das principais revistas nacionais e algumas internacionais da Educação Matemática. Ex-Coordenador do Curso de Especialização em Educação Financeira Escolar e Educação Matemática (2015-2016). Orienta projetos de pesquisa de Educação Financeira e Cinema e Educação no PRÓBIC-JR/UFJF/Fapemig, PIBIC/UFJF/Cnpq e BIC/UFJF. É desde de 2015, membro da Educação Matemática no Grupo de Apoio Pedagógico (GAP) que propõe ações de Educação Financeira do Ministério da Educação (MEC). Atual 1º secretário da SBEM-MG, Coordenador do PIBID-Matemática-UFJF-Ead (2014-2018), Vice-Coordenador do Curso de Matemática (Licenciatura-Not/UFJF) e Coordenador Pedagógico do Curso de Ciências Exatas (UFJF) no período de 2018-2021. Coordenador do Curso de Extensão Universitária Introdução à Educação Financeira (2017-2018) (UFJF). marco.kistemann@ufjf.edu.br pesquisador.kistemann@gmail.com kistemann2013@gmail.com

Cileda de Queiroz e Silva Coutinho, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. SP, Brasil.

Possui graduação em Licenciatura Plena em Matematica pela Pontifíca Universidade Católica de São Paulo (1979), graduação em Bacharelado em Matemática pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1978), mestrado em Educação Matemática pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1993) e doutorado em Didatica da Matematica - Université Joseph Fourier - Grenoble I (2001). Professora assistente doutor da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, no programa de Estudos Pós-graduados em Educação Matemática e no curso de Licenciatura em Matemática, modalidade a distância. Tem experiência na área de Matemática, com ênfase em Educação Matemática, atuando principalmente nos seguintes temas: ensino-aprendizagem, educação estatística e financeira, formação de professores. livro didático. Participa (vice-coordenadora) do grupo de pesquisa Pea-mat, coordenado pelo prof. Dr. Saddo Ag Almouloud, no qual se desenvolve, atualmente, projeto de pesquisa em parceria com o grupo DIMAT, da PUC-Peru. O campo de pesquisa no qual se inserem os trabalhos orientados é o da Educação Estatística e Educação Financeira, tratando da formação de professores, da análise de materiais didáticos (particularmente livros didáticos), elaboração e validação de situações de aprendizagem, diagnóstico de concepções de alunos e professores, entre outros. Coordenadora do GT12-Ensino de Probabilidade e Estatística, pertencente à Sociedade Brasileira de Educação Matemática - SBEM, no período 2009-2012, permanecendo atualmente como pesquisadora e colaboradora.

Referências

Almeida, M.I., Pimenta, S.G. (2014). Centralidade do estágio em cursos de Didática nas Licenciaturas: rupturas e ressignificações. In: M.I. Almeida, & S.G. Pimenta. Estágios Supervisionados na formação docente: Educação Básica e Educação de Jovens e Adultos, (pp.15-40). São Paulo: Cortez.

Almouloud, S.A. (1992). L’ordinateur, outitl d’aide à l’apprentissage de la démonstration et de traitement de données didactiques (Tese de Doutorado em Educação Matemática). Université de Rennes I, Rennes.

Almouloud, S.A. (2015). O que está pode detrás do CHIC? In: J.S. Valente, & M.E. Bianconcini (org), Uso do CHIC na Formação de Educadores: à guisa de apresentação dos fundamentos e das pesquisas e foco. Rio de Janeiro: Letra Capital.

Andrade, M., & Valente, J.A. (2014). Contribuições do CHIC para revelar o processo de apropriação das tecnologias digitais. Educação Matemática Pesquisa, 16(3),745-772.

Borges, M. C. (2009). Projeto Institucional. Belo Horizonte; PIBID/UFTM.

Brasil. (1996). Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei número 9394, 20 de dezembro de 1996.Brasilia: MEC.

Brasil. (2007). Portaria Normativa nº 38, de 12 de dezembro de 2007. Dispõe sobre o Programa de Bolsa Institucional de Iniciação à Docência – PIBID. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 13 dez. 2007.

Brasil. (2009). Edital CAPES/DEB Nº 02/2009. Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência – PIBID, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – Capes. Brasília: Capes.

Brasil. (2010). Decreto nº 7.219, de 24 de junho de 2010. Dispõe sobre o Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência - PIBID e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF.

Brasil. (2011). Edital CAPES/DEB Nº 01/2011. Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência – PIBID, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CAPES.

Brasil. (2012). Edital CAPES/DEB Nº 11/2012. Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência – PIBID, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CAPES.

Brasil. (2013). Lei n. 12.796, de 4 de abril de 2013: altera a Lei n. 9.394 de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para dispor sobre a formação dos profissionais da educação e dar outras providências. Brasília: Planalto Central.

Brasil. (2013a). Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Portaria nº 096, de 18 de julho de 2013. Regulamenta o Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID). Brasília, DF.

Brasil. (2013b). Edital CAPES/DEB Nº 61/201. Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência – PIBID, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CAPES.

Brasil. (2013c). Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Diretoria de Formação de Professores da Educação Básica. Relatório de Gestão 2009-2013. Brasília, DF.

Coutinho, C.Q.S., & Miguel, M.I.R. (2007). Análise Exploratória de Dados: Um Estudo Diagnóstico sobre Concepções de Professores. Disponível em: http://30reuniao.anped.org.br/trabalhos/GT19-2910--Int.pdf>. Acessado em: 10 jun. 2015.

Fernandes, E. (2011). David Ausubel e a aprendizagem significativa. Nova escola. Disponivel em:http://revistaescola.abril.com.br/imprima-essa-pagina.shtml?.

Fernandes, N.A.M. (2016). Experiências interdisciplinares no PIBID. Iniciação e Formação Docente, 2(1), 1-14.

Gatti, B.A. (2014). A Formação Inicial de Professores para a Educação Básica: as licenciaturas. Revista USP, 100, 33-46.

Gatti, Bernadete A, André, Marli E. D. A, Gimenes, Nelson A. S.; Ferragut, Laurizete. (2014). Um estudo avaliativo do Programa Institucional de bolsa de Iniciação à Docência (PIBID). São Paulo: FCC/SEP.

Gras, R., & Almouloud, S. (2002). A implicação estatística usada como ferramenta em um exemplo de análise de dados multidimensionais. Educação Matemática Pesquisa, 4(2), 75-88.

Gras, R. (2015). O Uso do CHIC na Formação de Educadores. In: J.A. Valente, & M.E.B Almeida. Uso do CHIC na Formação de Educadores: à guisa de apresentação dos fundamentos e das pesquisas e foco. Rio de Janeiro: Letra Capital.

Gras, R., Régnier, J.-C., Guillet, F.E. (2009). Analyse Statistique Implicative. Une méthode d'analyse de données pour la recherche de causalités. RNTI-E-16. Disponível em: http://www.cepadues.com/livre_details.asp?l=897.

Holanda, D.S., Silva, C.S.M. (2013). A contribuição do PIBID na formação docente: Um relato de experiência. Anais do XI Encontro Nacional de Educação Matemática, PUC-PR, Curitiba, Paraná.

Neves, C.M.C. (2012). A Capes e a formação de professores para a educação básica. Revista Brasileira de Pós-Graduação, 8, 353-373.

Nieitzel, A.A, Ferreira, V.S., & Costa, D. (2013). Os impactos do PIBID na Licenciatura e Educação Básica. Conjectura: Filos., Educ., 18, 98-121.

Nóvoa, A. (2009). Para uma formação de professores construída dentro da profissão. Revista Educacion. Madrid.

Oliveira Júnior, A.P., Alves, V.A., Zeulli, E. (2012). A formação inicial de professores da UFTM revigorada pelas experiências do PIBID. Anais do Encontro Nacional de Didática e Práticas de Ensino, UNICAMP – Campinas, Brasil.

Pimenta, S.G. (2012). Formação de professores: identidade e saberes da docência. In: S.G. Pimenta. Saberes pedagógicos e atividade docente. (pp. 15-38). São Paulo: Cortez.

Saldanha, F.H.D. (2016). Ensino de História e formação de professores: os impactos do PIBID nas escolas de Uberaba/MG. Anais do XX Encontro Regional de História, Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), 26 a 29 de julho de 2016.

Santos, L.G.S., Henriques, M.D., Oliveira, M.N., Ferreira, R.G., & Menon, T. (2013). O PIBID/UFJF na formação pedagógica de licenciandos: concepções de bolsistas. Anais do XI Encontro Nacional de Educação Matemática, PUC-PR, Curitiba, Paraná.

Souza, F.S. (2016). Política Nacional de Formação de Professores: Análise da Implementação do PIBID de Matemática pela Universidade Federal Fluminense no período de 2009–2013 (Tese de Doutorado em Educação. Universidade Federal Fluminense, Faculdade de Educação, Niterói, Brasil.

Souza, F.S., & Miranda, J.C. (2014). As Concepções do PIBID de Matemática e Ciências Naturais no INFES-UFF. Anais do III Colóquio em Educação Brasil-Colômbia, (pp. 1–12), Políticas Públicas e Direito à Educação. Niterói: Faculdade de Educação, RJ.

Tardif, M. (2012). Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes.

Teixeira, J. (2015). Um estudo diagnóstico sobre a percepção da relação entre educação financeira e matemática financeira (Tese de Doutorado em Educação Matemática). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo.

UFTM. (2011). Projeto Político Pedagógico do Curso de Licenciatura em Matemática da Universidade Federal do Triângulo Mineiro. Recuperado de http://www.uftm.edu.br/icene/images/PPC_MatemAtica.pdf.

UFTM. (2018). Site do PIBID da Universidade Federal do Triângulo Mineiro. Recuperado de http://pibiduftm.com.br/portal/sobre/.

Zeulli, E., Borges, M.C., Alves, V.A., & Oliveira Júnior, A.P. (2012). O PIBID e a formação inicial dos professores da UFTM: diferentes experiências entre seus atores. Anais do Encontro Nacional de Didática e Práticas de Ensino, UNICAMP – Campinas, Brasil.

Downloads

Publicado

2019-04-30

Edição

Seção

Artigos