Produção de Sentidos no Pibid Matemática: Fuga e Perpetuação do Discurso Autoritário

Autores

  • Flávia Sueli Fabiani Marcatto Universidade Federal de Itajubá. MG, Brasil.
  • Cibele Faria Cunha Universidade Federal de Itajubá. MG, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.17921/2176-5634.2019v12n1p112-118

Resumo

Este artigo relata uma pesquisa que teve como objetivo investigar nos portfólios produzidos pelos bolsistas de Iniciação à Docência (ID) do subprojeto Matemática, do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (Pibid), entre os anos de 2014 e 2017, a presença ou a ausência do Discurso Pedagógico, caracterizado como autoritário por Orlandi (2011). Nesta investigação, fomos amparados por Orlandi (2005, 2010, 2011), como suporte teórico-metodológico para a caracterização do Discurso Pedagógico, e para a interpretação dos recortes discursivos com a inspiração na Análise do Discurso. A interpretação empreendida nos fez questionar a permanência de discursos que há muito são legitimados pela escola em meio a propostas concretas de ressignificação de Iniciação à Docência e pensar em alternativas de fuga dos discursos perpetuados para que não venham a influenciar as práticas dos futuros docentes.

Palavras-chave: Análise do Discurso. Iniciação à Docência. Reflexão sobre a Prática. Marcas de Reflexão.

 

Abstract

This article reports a research that had as objective to investigate in the portfolios produced by the initiation to teaching  (ID) of the Mathematical subproject, of the Institutional Program of Initiation to Teaching Scholarship (Pibid), between the years 2014 and 2017, the presence or the absence of the Pedagogical Discourse, characterized as authoritarian by Orlandi (2011). In this research, we were supported by Orlandi (2005, 2010, 2011), as a theoretical-methodological support for the characterization of the Pedagogical Discourse, and for the interpretation of the discursive cuts with the inspiration in Discourse Analysis. The interpretation made has made us question the permanence of discourses that have long been legitimized by the school in the midst of concrete proposals for the re-signification of Initiation to Teaching and to think of alternatives of escape from the discourses perpetuated so that they will not influence the practices of future teachers.

 

Keywords: Discourse Analysis. Initiation to Teaching. Reflection on Practice. Reflection marks.

Referências

Cunha, C. F. (2007). Análise de discurso nos portfólios do Pibid/UNIFEI: marcas de reflexão e autoria. Itajubá: UNIFEI.

Cunha, C.F., & Marcatto, F.S.F. (2017). Vestígios de Reflexão e Autoria nos Portfólios produzidos nas/pelas vivências do Pibid/UNIFEI. In 38ª Reunião Nacional da ANPEd - Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação, São Luiz.

D´ambrosio, U. (2015). Insuburdinação criativa na educação e na pesquisa: das disciplinas à transdisciplinaridade. In: B.S. D´ Ambrosio, & E.C. Lopes. Vertentes da subversão na produção científica em educação matemática. Campinas: Mercado das Letras, 2015.

Marcatto, F. S. F. (2012). A prática como componente curricular em projetos pedagógicos de cursos de licenciatura em matemática. Rio Claro: Unesp.

Nadal G. B., Alves P. L., & Papi G. S.O. (2004). Discutindo sobre portfólios nos processos de formação. Olhar de Professor, 7(2).

Orlandi, E P. (2011). A Linguagem e seu funcionamento: as formas do discurso. Campinas: Pontes.

Orlandi, E. P. (2005). Análise de discurso: princípios e procedimentos. Campinas: Pontes.

Orlandi, E. P. (2010). As formas do silêncio: no movimento dos sentidos. Campinas: UNICAMP.

Ponte, J.P., & Serrazina, L. (2004). Práticas profissionais dos professores de matemática. Quadrante, 13(2), 51-74.

Ponte, J.P. (2012). Perspectivas teóricas no estudo das práticas profissionais dos professores de matemática. In Práticas de ensino de matemática: Atas do Encontro de Investigação em Educação Matemática, (pp.267-277). Lisboa: SPIEM.

Silva, R.F., & Sá-Chaves, I. (2008). Formação reflexiva: representações dos professores acerca do uso de portfólio reflexivo na formação de médicos e enfermeiros. Interface Comunic., Saúde, Educ., 12(27), 721-734.

Skovsmose, O. (2008). Desafios da reflexão em educação matemática crítica. Campinas: Papirus.

Downloads

Publicado

2019-04-30

Edição

Seção

Artigos