Formação Inicial de Professores que Ensinam Matemática: uma Experiência Formativa a Partir do Pibid

Autores

  • Edilson de Araújo dos Santos Universidade Estadual de Maringá, Programa de Pós-Graduação em Educação. PR, Brasil.
  • Luciana Figueiredo Lacanallo Arrais Universidade Estadual de Maringá, Programa de Pós-Graduação em Educação. PR, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.17921/2176-5634.2019v12n1p99-105

Resumo

Neste texto apresentamos os resultados das intervenções realizadas junto aos participantes do subprojeto Pedagogia Foco Matemática do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID) da Universidade Estadual de Maringá (UEM) (campus sede). O objetivo central é expor o movimento de aprendizagem e o processo de formação do pensamento teórico do professor a partir da produção de uma tarefa de ensino. As fontes de análise constituem-se do experimento formativo do grupo e de registros das ações dos professores no processo de organização do ensino de Matemática para os anos iniciais de escolarização. Desde 2014, várias ações foram desenvolvidas até início de 2018 no sentido de auxiliar os pibidianos a compreenderem o quê e como ensinar Matemática para alunos dos anos iniciais do Ensino Fundamental I. Temos como princípios teóricos a Teoria Histórico-Cultural que valoriza a função da escola para o desenvolvimento humano a partir da apropriação do conhecimento científico e defendem a ação docente na condução do processo de ensino e aprendizagem. Em síntese, as ações de ensino e de estudo contribuíram para a formação do pensamento teórico dos docentes. Esperamos com este trabalho aumentar a quantidade de argumentos que justifiquem a qualidade dos trabalhos desenvolvidos por meio do PIBID.

 

Palavras chaves: Ensino de Matemática. PIBID. Formação Docente.

 

Abstract

In this text we present the results of the interventions realized with the participants of the subproject Mathematical Focus Pedagogy of the Institutional Program of the Initiation to Teaching Grant (PIBID) of the State University of Maringá (UEM) (campus headquarters). The central purpose is to expose the learning action and the process of formation of the Theoretical Thinking of the teacher from the production of a teaching assignment. The source of analysis are the formative experiments of the group and records of the actions of the teachers in the organization process of mathematics teaching for the initial years of schooling. Since 2014 several actions have been developed until the beginning of 2018, in the order to help the pibidians to understand what and how to teach mathematic to students in the first years of elementary school I.We have as theoretical principles the Historical-Critical Pedagogy and Historical- Cultural, which value the school function for human development from the appropriation of scientific knowledge and defend the teaching action in the conduction of the teaching and learning process. In summary, the teaching and study actions have been contributed to the formation of theoretical thinking by teachers. We hope with this work increase the number of arguments that justify the quality of the work developed through PIBID.

 

Keywords: Teaching Mathematics. PIBID. Teacher Training.

Referências

Brasil. Ministério da Educação. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência. Disponível em: http://www.capes.gov.br/educacao-basica/capespibid. Acesso em: 15 abr. 2018.

Charão, C. Quem será professor. Revista Educação, São Paulo, v. 5. 2015.

Gatti, B. A. Formação de Professores no Brasil: características e problemas. Educação e Sociedade, Campinas, v.31, n.113, p.1355-1379, out-dez. 2010.

Danyluk, O. S. Alfabetização matemática: o cotidiano da vida escolar. 2.ed. Caxias do Sul: EDUCS. 1991.

Davydov, V. Tipos de generalización em la enseñanza. Habana: Editorial Pueblo y Educación. 1982.

Elkonin, D. B. Psicologia do jogo. São Paulo: Martins Fontes. 1998.

Engels, F. Ludwing Feuerbach e o fim da filosofia clássica alemã. São Paulo. Edições Sociais. 1977.

Lacanallo, L. F. O jogo no ensino da matemática: contribuições para o desenvolvimento do pensamento teórico. 218 f. Tese (Doutorado em Educação). Maringá: Universidade Estadual de Maringá. 2011.

Libâneo, J. C. Produção de saberes na escola: suspeitas e apostas. In: CANDAU, Vera (Org.). Didática, currículo e saberes escolares. Rio de Janeiro: DP&A, p.11-45. 2001.

Moraes, S. P. G. (2010). A apropriação da linguagem matemática nos primeiros anos de escolarização. In: A.R., Shelbauer, & M.A.O.F. Lucas, R.C. Faustino. Práticas pedagógicas: alfabetização e letramento (pp.97-114). Maringá: Eduem.

Moura, M. O. (1992). O jogo e a construção do conhecimento matemático. São Paulo: FDE.

Moura, M. O. (1996). Controle da variação de quantidades: atividades de ensino. Oficina Pedagógica de Matemática. São Paulo: FEUSP.

Moura, M. O. (2007). Matemática na infância. In: M., Migueis, & M.G. Azevedo, M. G. Educação matemática na infância (pp.36-64). Vila Nova de Gaia/Portugal: Gailivro.

Moura, M. O. (1990). O jogo na educação matemática. São Paulo: FDE.

Rosa, J. E. (2012) Proposições de Davydov para o ensino de matemática no primeiro ano escolar: inter-relações dos sistemas de significações numéricas. Curitiba: Universidade Federal do Paraná.

Rosa, J. E., Soares, M. T. C., & Damazio, A. (2011). Conceito de número no sistema de ensino de Davydov. Disponível em: http://www.gente.eti.br/lematec/CDS/XIIICIAEM/artigos/1538.pdf Acesso em: 26 nov. 2016.

Vigotski, L.S. (2000). A construção do pensamento e da linguagem. São Paulo: Martins Fontes.

Downloads

Publicado

2019-04-30

Edição

Seção

Artigos