Reflexões Acerca da História Oral e suas Potencialidades em Pesquisas do Campo da História da Educação Matemática

Autores

  • Kátia Guerchi Gonzales Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul. MS, Brasil. Universidade Anhanguera Uniderp, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ensino de Ciências e Matemática. MS, Brasil.
  • Ana Carolina de Siqueira Ribas dos Reis Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Educação Matemática. MS, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.17921/2176-5634.2019v12n2p164-171

Resumo

Este estudo apresenta algumas discussões sobre a metodologia História Oral mobilizada em estudos do campo da Educação Matemática e que tem por objetivo a constituição de fontes de pesquisa a partir da oralidade. Para essa discussão trazemos pressupostos teóricos e procedimentais que fundamentam o trabalho com essa metodologia, os quais abordam desde a concepção de pesquisa historiográfica e fontes até os procedimentos específicos utilizados para a construção das fontes. Apresentamos, também, uma discussão sobre potencialidades do uso da História Oral em pesquisas do campo da História da Educação Matemática, evidenciando como as narrativas criadas têm possibilitado reflexões sobre experiências na formação de professores que ensinam Matemática.

Palavras-chave: Formação de Professores. História Oral. Constituição de Fontes.

Abstract
This study presents some discussions about Oral History methodology mobilized in studies in the field of Mathematics Education and whose objective is the constitution of research sources from orality. For this discussion we bring theoretical and procedural assumptions that are the foundation for this methodology, which approach from the conception of historiographic research and sources to the specific procedures used for the construction of the sources. We also present a discussion about potentialities of the use of Oral History in researches in the field of History of Mathematics Education, showing how the created narratives have made possible reflections on experiences in the formation of teachers who teach Mathematics.

Keywords: Teacher Training. Oral History. Constitution of Sources.

Referências

Alberti, V. (2004). Ouvir contar: textos em história oral. Rio de Janeiro, FGV.

Albuquerque Júnior, D. M. (2007). História: a arte de inventar o passado. Bauru: EDUSC.

Albuquerque Júnior, D. M. (2011). Em estado de palavra: quando a história não consegue que se meta fora a literatura. In: Flores, M. B. R., Piazza, M. F. F. História e arte: movimentos artísticos e correntes intelectuais , (pp.249-261). Campinas: Mercado de Letras.

Bloch, M. (2001). Ofício de historiador (ou Apologia da História). Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Bolívar, A., Domingo, J., & Fernández, M. (2001). La investigación biográfico-narrativa en educación: enfoque y metodologia. Madrid: La Muralla.

Cury, C. R. J. (2007). A educação como desafio na ordem jurídica. In: Lopes, E. M. T., Faria Filho, L. M., & Veiga, C. G. (Orgs.). 500 anos de educação no Brasil, (pp.6.7-584). Belo Horizonte: Autêntica.

Cury, F. G. (2011). Uma história da formação de professores de Matemática e das Instituições formadoras do Estado de Tocantins. Tese (Doutorado em Educação Matemática) – Universidade Estadual Paulista – Unesp, Rio Claro.

Faoro, T.C.T. (2014). A Formação de Professores de Matemática da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul: um olhar sobre os anos iniciais da licenciatura em Dourados. Dissertação de Mestrado em Educação Matemática. Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Campo Grande/MS.

Garnica, A. V. M. (2010). Outras inquisições: apontamentos sobre história oral e história da educação matemática. Zetetiké. 18(34), 259-304.

Garnica, A. V. M., & Souza, L. A. D. (2012). Elementos de História da Educação Matemática.

Gonzales, K. G. (2017). Formar professores que ensinam Matemática: uma história do movimento das Licenciaturas Parcelada no Mato Grosso do Sul. 2017, 534 f. Tese de Doutorado em Educação para Ciência, Universidade Estadual Paulista, Bauru/SP.

Jenkins, K. (2013). A História repensada. São Paulo: Contexto.

Larrosa, J. (2002). Notas sobre a experiência e o saber da experiência. Revista Brasileira de Educação 19, 19-28.

Le Goff, J. (1994). História e memória. Campinas: UNICAMP.

Le Goff, J. (2001). Prefácio. In: Bloch, M. Apologia da história, (pp.15-34). Rio de Janeiro: Zahar.

Pinto, T. P. (2013). Projetos Minerva: caixa de jogos caleidoscópica.2013. 379 f. Tese de Doutorado em Educação para Ciência, Universidade Estadual Paulista, Bauru/SP

.

Reis, A.C.S.R. (2014). A Formação Matemática de Professores do Ensino Primário: um olhar sobre a Escola Normal Joaquim Murtinho. 2014. 143 f. Dissertação de Mestrado em Educação Matemática. Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Campo Grande/MS.

Saviani, D. (2004). Breves considerações sobre fontes para a história da educação. Fontes, história e historiografia da educação, (pp.3-12). Campinas: Autores Associados.

Silva, H., Baraldi, I. M., & Garnica, A. V. M. (2013). Sentidos para a pesquisa com narrativas (em Educação Matemática). In: Flores, C. R., & Cassani, S. Tendências contemporâneas nas pesquisas em educação matemática e científica: sobre linguagens e práticas culturais, (pp.54-76). Campinas: Mercado das Letras.

Souza, L. A. (2006). História oral e educação matemática: um estudo, um grupo, uma compreensão a partir de várias versões. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática), Universidade Estadual Paulista.

Souza, L. A. (2011). Trilhas na construção de versões históricas sobre um grupo escolar. Tese de Doutorado em Educação Matemática – Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro/SP.

Thompson, J. B. (2011). Ideologia e cultura moderna: teoria social crítica na era dos meios de comunicação de massa. Petrópolis: Vozes.

Downloads

Publicado

2019-09-05

Edição

Seção

Artigos