A Influência dos Afetos no Desempenho de Estudantes do 6º Ano em Atividades de Cálculo Mental Envolvendo Adição e Subtração

Autores

  • Daniel Moreira dos Santos Prefeitura Municipal de Vitória; Faculdade Multivix-Serra.
  • Vânia Maria Pereira dos Santos-Wagner Professora aposentada DMAT/UFRJ. Professora voluntária PPGE/CE/UFES.

DOI:

https://doi.org/10.17921/2176-5634.2016v9n2p%25p

Resumo

Este estudo traz um recorte de pesquisa de mestrado que investigou estratégias de cálculo mental utilizadas por alunos do 6º ano do ensino fundamental ao resolver cálculos de adição e subtração. A pesquisa é de natureza qualitativa do tipo estudo de caso. O trabalho de campo foi realizado em uma turma de 6º ano de uma escola da rede de ensino estadual do Espírito Santo. Trabalhamos com os alunos uma atividade diagnóstica composta por quatro sequências de cálculos mentais divididas em: adição e subtração com parcela e resultado menor ou igual a 5, adição e subtração com parcelas e resultado menor ou igual a 10, adição e subtração com parcelas e resultado menor ou igual a 20 e adição e subtração com parcelas e resultado menor ou igual a 100. Neste texto são apresentadas e analisadas as estratégias de cálculo mental de dois estudantes e a influência dos afetos em seus desempenhos. Constatamos que a ansiedade e a tensão diante de atividades não rotineiras de cálculo mental influenciaram na escolha das estratégias utilizadas pelos estudantes. Portanto, estratégias de cálculo mental precisam ser diretamente ensinadas a fim de familiarizar os estudantes com esse tipo de atividade.

Biografia do Autor

Daniel Moreira dos Santos, Prefeitura Municipal de Vitória; Faculdade Multivix-Serra.

Mestre em Educação (Linguagem Matemática) pela Universidade Federal do Espírito Santo/UFES (2014), graduado em Licenciatura plena em Matemática (2011) pela UFES, técnico em Informática (2006) pelo Centro Federal de Educação Tecnológica do Espírito Santo - CEFETES. Membro do Grupo de Estudos em Educação Matemática do Espírito Santo (Geem/ES-Ufes). Foi professor DT do Estado do Espírito Santo. Tem experiência em desenvolvimento de jogos computacionais para o ensino de Matemática. Foi professor de Estatística aplicada à Educação, Metodologia e prática de ensino da Matemática, Educação e Tecnologias Contemporâneas e Orientação à elaboração de T.C.C. na Faculdade de Educação FDE/Vitória. Foi Assessor Pedagógico na Gerência de Ensino Fundamental da Secretaria Municipal de Educação de Vitória (PMV/GEF/Seme) trabalhando na equipe de planejamento e implementação da escola de educação integral. Atualmente é professor efetivo de Matemática da Prefeitura municipal de Vitória/Espírito Santo, trabalhando na escola de Ensino Fundamental em Tempo Integral Professora Eunice Pereira Silveira e na Faculdade Multivix/Serra.

Vânia Maria Pereira dos Santos-Wagner, Professora aposentada DMAT/UFRJ. Professora voluntária PPGE/CE/UFES.

Possui graduação em Licenciatura em Matemática pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1976), graduação em Bacharelado em Matemática pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1976), mestrado em Matemática pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1980) e doutorado em Educação Matemática - Indiana University, USA (1993). Atualmente é professor colaborador da Universidade Federal do Espírito Santo e atua no Programa de Pós-Graduação em Educação. Tem experiência na área de Educação Matemática, com ênfase em Ensino Aprendizagem e Avaliação, atuando principalmente nos seguintes temas: metacognição, formação continuada de professores, concepções, avaliação, investigação da prática, frações, números, resolução de problemas, formulação de problemas, e educação matemática no ensino superior.

Referências

ALBERGARIA, I. S.; PONTE, J. P. Cálculo mental e calculadora. In A. P. CANAVARRO, A. P.; MOREIRA, D.; ROCHA, M. I. (Eds.), Tecnologias e educação matemática. Lisboa: SEM-SPCE, 2008, p. 98-109.

ANDRÉ, M. E. D. A. Estudo de caso em pesquisa e avaliação educacional. 3 ed. Brasília: Liber Livro Editora, 2008.

BARICCATTI, K. H. G. As relações entre as estratégias de resolução de cálculos mentais e escritos e os níveis de construção das operações aritméticas. 2010. Tese (Doutorado em educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

BEISHUIZEN, M. Development of mathematical strategies and procedures up to 100. In: GRAVEMEIJER, K. P. E. e van LIESHOUT (Eds.). The role of contexts and models in the development of mathematical strategies and procedures. Freundenthal Institute, 1997, p. 127-162.

BRASIL. Parâmetros curriculares nacionais: matemática/Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC, 1997.

BUENOS AIRES. Matemática: Cálculo mental con números naturales. Apuntes para la enseñanza. Gobierno de la Ciudad de Buenos Aires/Secretaria de Educación Dirección General de Planeamiento Dirección de Currícula, 2006.

BUYS, K. Mental arithmetic. In: VAN DEN HEUVEL-PANHUIZEN, M. (Ed.), Children learn mathematics: A learning-teaching trajectory with intermediate attainment targets for calculation with whole numbers in primary school. Netherlands: Sense Publishers, 2008, p. 121 – 146. (Obra original foi publicada em 2001.).

CARRAHER, T. N.; CARRAHER, D.; SCHLIEMANN, A. Matemática escrita versus matemática oral. In: CARRAHER, T.; CARRAHER, D.; SCHLIEMANN, A. Na vida dez, na escola zero. 10 ed. São Paulo: Cortez, 1995.

FIORENTINI, D.; LORENZATO, S. Investigação em educação matemática: percursos teóricos e metodológicos. Campinas: Autores Associados, 2006.

GODINO, J. D. (org.). Didáctica de lãs matemáticas para maestros: manual para el estudiante. Granada: Gami, S. L. Fotocopias, 2004. Disponível em: <http://www.ugr.es/local/jgodino/edumat-maestros/>. Acesso em: 17 ago. 2012.

GÓMEZ CHÁCON, I. M. Matemática emocional: os afetos na aprendizagem matemática. Porto Alegre: Artmed, 2003.

KAMII, C. Desvendando a aritmética: Implicações da Teoria de Piaget. Campinas: Papirus, 2ª edição, 1995.

KLEIN, A. S.; BEISHUIZEN, M. The empty number line in dutch second grades: realistic versus gradual program design. Journal for Research in Mathematics Education, vol. 29, no. 4, p. 443–464, 1998.

LINS, R. C.; GIMENEZ, J. Perspectivas em aritmética e álgebra para o século XXI. Campinas: Papirus, 1997.

LORENZATO, S. Para aprender matemática. Campinas: Autores Associados, 2006.

MORAIS, C. M. S. O cálculo mental na resolução de problemas: um estudo no 1º ano de escolaridade. 2011. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) – Instituto Politécnico de Lisboa, Escola Superior de Educação de Lisboa, Lisboa.

NOVA ESCOLA. Cálculo mental. São Paulo: Editora Abril, n. 14, p. 23-34, junho 2011.

PARRA, C. Cálculo mental na escola primária. In: PARRA, C.; SAIZ, I (Org.). Didática da matemática: reflexões psicopedagógicas. Porto Alegre, RS: Artes Médicas, 1996. p. 186-235.

RIBEIRO, D.; VALÉRIO, N.; GOMES, J. T. Cálculo mental. Escola Superior de Educação de Lisboa. Lisboa, 2009.

ROGERS, A. Mental computation in the primary classroom. In: MAV Annual Conference, 2009, p. 190-199.

SCHLIEMANN, A.; SANTOS, C. M.; COSTA, S. C. Da compreensão do sistema decimal à construção de algoritmos. In: ALENCAR, E. (Org.). Novas contribuições da psicologia aos processos de ensino e aprendizagem. 4.ed. São Paulo: Cortez, 2001, p. 97-117.

SANTOS, V. M. P. dos Avaliação de aprendizagem e raciocínio em matemática: métodos alternativos. Rio de Janeiro: Instituto de Matemática da UFRJ – Projeto Fundão, 1997.

SANTOS-WAGNER, V. M. P. dos. Notas de aulas com a orientadora sobre Tópicos em linha de pesquisa I. PPGE/UFES. 2012, 2013.

SKEMP, R. R. Relational understanding and instrumental understanding. Mathematics teaching, vol. 77, p. 20-26, 1976.

SOWDER, J. Mental computation and number comparison: Their roles in the development of number sense and computational estimation. In: HIEBERT, J. & BEHR, M. (Eds). Number concepts and operations in the middle grades. Reston, VA: Lawrence Erlbaum, 1988, p. 182-197.

THOMPSON, I. Mental calculation strategies for addition and subtraction – part 1. Mathematics in school, vol. 28, no. 5, p. 22-25, nov. 1999.

THOMPSON, I. Mental calculation strategies for addition and subtraction – part 2. Mathematics in school, vol. 29, no. 1, p. 24-26, jan. 2000.

VYGOTSKY, L. S. Imaginação e criação na infância. São Paulo: Ática, 2004.

Downloads

Publicado

2016-12-30

Edição

Seção

Artigos