Pdf 55-72 Maria do Carmo Domite: da Pluralidade de Vozes aos Movimentos pela Etnomatemática

Autores

  • Cristiane Coppe de Oliveira Universidade Federal de Uberlandia - UFU
  • Maria Cecilia Fantinato UFF

DOI:

https://doi.org/10.17921/2176-5634.2016v9n3p73-93

Resumo

Este artigo pretende evidenciar a trajetória acadêmico-profissional da educadora matemática Maria do Carmo Santos Domite (1948-2015), evidenciando as principais contribuições que teceu ao longo de sua vida para a Educação Matemática e em especial para o campo da Etnomatemática. As ações de pesquisa e movimentos constantes serão apresentados por meio dos contatos com diversos pesquisadores em diversas instituições nacionais e no exterior, bem como vertentes que foram se estabelecendo nos projetos internos do Grupo de Estudos e Pesquisas em Etnomatemática da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (GEPEm/FEUSP), do qual foi coordenadora até o ano de seu falecimento. Também apresentaremos um ensaio da genealogia do grupo em algumas regiões do Brasil, com o intuito de evidenciar o caráter da formação de pesquisadores, traçado por Maria do Carmo Domite. Esperamos com este artigo, além de apresentar a carreira e um pouco da história de vida da professora e educadora Maria do Carmo Domite, disseminar a importância de suas ações para o desenvolvimento e reconhecimento da Etnomatemática como campo de investigação no Brasil e no exterior, inaugurando múltiplas vertentes e interfaces.

Biografia do Autor

Cristiane Coppe de Oliveira, Universidade Federal de Uberlandia - UFU

Profa. Dra Cristiane Coppe de Oliveira

Coordenadora do GT 5 - História da Matemática e Cultura da SBEM

Professora Adjunta da Universidade Federal de Uberlândia - UFU

Programa de Pós-Graduacão em Ensino de Ciências e Matemática da UFU

Orienta Mestrado no Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Educação da USP

Referências

CAMPOS, M. D. Etnociência ou etnografia de saberes, técnicas e práticas? In: AMOROZO, M. C. M.; MING, L. C.; Silva, S.P. (Org.). Métodos de coleta e análise de dados em etnobiologia, etnoecologia e disciplinas correlatas. 1 ed. Rio Claro, SP: Coordenadoria de Área de Ciências Biológicas, UNESP, 2002. v. 1. p. 47-92.

COPPE-OLIVEIRA,C.C. Etnomatemática e a lei 10639/03: por uma educação matemática antirracista.In: Anais do RELME 26. Belo Horizonte: Clame, 2012.

D´AMBROSIO. U. Etnomatemática. São Paulo:Ática, 1190.

DA MATTA, R. O ofício de etnólogo, ou como ter “anthropological blues”. In: E. de O. NUNES (org.) A aventura sociológica. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1978, p.23-35.

DOMITE, M.C.S. Memorial Acadêmico. São Paulo: Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2001.

____________ Problem Posing and problematization in the process of learning and teaching mathematics.AdultEducationandDevelopmentJournal, Bonn Alemanha, v. 57, p. 2731, 2001.

____________ O desafio da Educação Matemática: da pluralidade ao focos de interesse. Livre-Docência – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo. São Paulo, 2005.

____________ The encounter of non indigenous teacher educator and indigenous teacher: the invisibility of the challenges. ZDM (Berlin. Print), v. 42, p. 305313, 2010.

____________ Etnomatemática e formação de professores: no meio do caminho (da sala de aula) há impasses. Cuadernos de Investigación y FormaciónenEducación Matemática. 2012.Año7. Número 10. pp109-121. Costa Rica

____________; POISARD, C. ; BARTON, B. An Overview of the Third International Conference on Ethnomathematics: Cultural Connections & Mathematical Manipulations. For the Learning of Mathematics, Canadá, v. 26, p. 2124, 2006.

____________; POHL, R. D. . The encounter of non indigenous teacher educator and indigenous teacher: the invisibility of the challenges. Journal of Mathematics and Culture, v. 6, p. 1, 2012.

____________; POHL, R. D. ; CARVALHO, V. .Joint contributions of mathematics teacher educators and indigenous Terena teachers to revitalization of the native language.Revista Internacional de Educación para laJusticia Social (RIEJS), v. 3, p. 121131, 2014.

____________; FORNER, R. Um encontro entre Paulo Freire e a educação matemática: Maria do Carmo Domite instigada por Régis Forner. Revista Internacional de Educación para laJusticia Social (RIEJS), v. 3, p. 157172, 2014.

Domite (2015),

FIORENTINI, D. Pesquisar práticas colaborativas ou pesquisar colaborativamente? In: M. C. BORBA & J. L. ARAÚJO (orgs.) Pesquisa qualitativa em educação matemática. Belo Horizonte: autêntica, 2004.

GARNICA, V.M. História oral em educação matemática: um panorama sobre pressupostos e exercícios de pesquisa. Revista História Oral, v. 18, n. 2, p. 35-53, jul./dez. 2015.

MEDINA, D. Lucília Bechara.In: VALENTE, W.R. (Org.). Educadoras Matemáticas: Memórias, Docência e Profissão: São Paulo: Livraria da Física, 2013.

MENDES, I.A.;FARIAS, C.A. História da Educação Matemática Brasileira:entre genealogias e coletivos de pensamento.Revista de História da Educação Matemática – HISTEMAT. V.1, n.1, p.89-103, set/dez., 2015.

SCHÖN, D.A. Formar professores como profissionais reflexivos. In: NÓVOA, A. (Org.). Os professores e sua formação. Lisboa: Dom Qu

Downloads

Publicado

2017-03-02

Edição

Seção

Artigos