A PROBABILIDADE, A MAQUETE TÁTIL, O ESTUDANTE CEGO: UMA TEIA INCLUSIVA CONSTRUÍDA A PARTIR DA ANÁLISE INSTRUMENTAL

Autores

  • Aida Carvalho Vita Universidade Estadual de Santa Cruz
  • Sandra Maria Pinto Magina Universidade Estadual de Santa Cruz
  • Irene Maurício Cazorla Universidade Estadual de Santa Cruz

DOI:

https://doi.org/10.17921/2176-5634.2015v8n3p%25p

Resumo

Neste artigo discute-se as contribuições da análise instrumental, na construção de uma maquete tátil (MT), proposta por Vita para a aprendizagem de conceitos básicos de Probabilidade (cbP) por estudantes cegos. A MT, composta por artefatos, tarefas de reconhecimento tátil e tarefas da sequência de ensino Os Passeios Aleatórios do Jefferson, resultou da construção evolutiva de cinco protótipos (M1, M2, M3, M4, M5). O M5 foi validado como a MT, após análise instrumental conforme investigações das situações de atividades coletivas instrumentadas, segundo o modelo de Rabardel, entre quatro polos, a saber: o estudante cego (S), a maquete tátil (I), os cbP (O) e os pesquisadores (P). A MT mostrou-se flexível às adaptações curriculares, eficiente para atender as necessidades dos estudantes cegos e eficaz para o trabalho com os cbP abordados sob a ótica do modelo de letramento probabilístico de Gal. Espera-se que as discussões trazidas neste artigo possam contribuir para o processo educacional inclusivo e para a aprendizagem de Probabilidade por todos os estudantes, inclusive os cegos, possibilitando o desenvolvimento do letramento probabilístico dos mesmos.

Downloads

Publicado

2015-09-14

Edição

Seção

Artigos