O ENSINO DA ANÁLISE COMBINATÓRIA: UM ESTUDO DOS REGISTROS DE REPRESENTAÇÕES SEMIÓTICAS POR MEIO DE SEQUÊNCIA DIDÁTICA

Autores

  • Antonio Jailson dos Santos Fonseca Universidade Federal de Sergipe
  • Divanizia do Nascimento Souza Universidade Federal de Sergipe
  • Marlene Alves Dias Universidade Anhanguera de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.17921/2176-5634.2015v8n4p%25p

Resumo

A presente pesquisa tem como objetivo investigar o potencial das transformações dos registros de representação semiótica em uma proposta de ensino de Análise Combinatória construída com base na resolução de problemas para alunos da 2º série do Ensino Médio. O referencial teórico desta investigação está centrado nas abordagens em termos de registro de representação semiótica, níveis de conhecimento esperados dos estudantes e resolução de problemas, que estão relacionadas com o processo de ensino e aprendizagem da disciplina Matemática. Trata-se de um estudo de caso, cujo desenvolvimento se deu por meio da utilização de aspectos metodológicos da Engenharia Didática. A análise envolve principalmente a relação entre as análises a priori e a posteriori. Participaram da pesquisa alunos da segunda série do Ensino Médio de uma escola pública estadual em Aracaju, SE. Os resultados mostram que a aplicação de uma sequência didática baseada em experiências de aulas, que estimulem a mobilização dos registros de representação semióticos e com atividades relacionadas ao cotidiano do discente, contribui de forma efetiva para o ensino e a aprendizagem de Análise Combinatória.

Biografia do Autor

Antonio Jailson dos Santos Fonseca, Universidade Federal de Sergipe

Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemáica

Divanizia do Nascimento Souza, Universidade Federal de Sergipe

Docente da Universidade Federal de Sergipe.

Possui doutorado em Tecnologia Nuclear e atua no Departamento de Física, no Programa de Pós-Graduação em Física e no de Ensino de Ciências e Matemática.

 

Marlene Alves Dias, Universidade Anhanguera de São Paulo

Doutorado em Matemática - Didática da Matemática pela Universidade Denis Diderot 

Referências

Artigue, M. (2010). Notas do curso monográfico da Escola de Altos Estudos da Capes. Uniban, São Paulo, Brasil.

Artigue, M. (1996). Engenharia Didática. In: Brun, Jean. Didáctica das Matemáticas, (pp. 193-217). Lisboa: Horizontes Pedagógicos.

Barreto, F. L. S.; Borba, R. E. S. R. (2012). Estudantes de Anos Iniciais da Educação de Jovens e Adultos Resolvendo Problemas Combinatórios com Listagens e com Árvores de Possibilidades. In: Educação Matemática em Revista - SBEM, (35), (pp. 26-31). Brasília: SBEM.

Borba, R. E. S. R.; Azevedo, J. (2010). Construindo Árvores de Possibilidades para Compreensão de Relações Combinatórias. In: Educação Matemática em Revista - SBEM, (31), (pp. 24-32). Brasília: SBEM.

Brasil (2008). Orientações Curriculares Nacionais para o Ensino Médio: Ciências da Natureza Matemática e suas tecnologias. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Brasília: MEC; SEMTEC.

Brasil (1996). Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996.

Brasil (2000). Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Secretaria de Educação Básica Média e tecnológica. Brasília: MEC/Semtec.

Brasil (2002). PCN+ Ensino médio: Orientações educacionais complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais – Ciência da Natureza, Matemática e suas Tecnologias. Secretaria de Educação Básica Média e tecnológica. Brasília: MEC/Semtec.

Brasil (2015). Guia de livros didáticos PNLD 2015 Ensino médio: Matemática. Ministério da Educação, Secretaria da Educação Básica. Brasília: SEF/MEC, 2014.

Brousseau, G. (2010). Glossaire de quelques concepts de la théorie des situations didactiques en mathématiques. Disponível em: <http://guy-brousseau.com/wp-content/uploads/2010/09/Glossaire_V5.pdf>. Acesso em 31 de março de 2015.

Colombo, J. A. A.; Flores, C. R.; Moretti, M. T. (2008). Registros de Representação Semiótica nas pesquisas brasileiras em Educação Matemática: pontuando tendências. ZETETIKÉ 16(29), (pp.41-72).

D’amore, B. (2005). Epistemologia e didática da Matemática. São Paulo: Escrituras Editora.

Damm, R. F. (2012). Registros de representação. In: Machado, S. D. A. et al. (org.) Educação Matemática: uma (nova) introdução (pp. 135-154). São Paulo: EDUC.

Duval, R. (2003). Registro de representações semióticas e funcionamento cognitivo da compreensão em matemática. In: Machado, S.D.A. (org.). Aprendizagem em matemática: Registros de representações semiótica (pp. 11-34). Campinas: Papirus.

Flores, C. R. (2006). Registro de Representação Semiótica em Matemática: História, Epistemologia, Aprendizagem. Bolema, 19(26), (pp.1-22).

Fonseca, A. J. S. (2015). O ensino da análise combinatória: um estudo dos registros de representações semióticas por meio de sequência didática. Dissertação de mestrado não publicada. Universidade Federal de Sergipe. Brasil.

Hazzan, S. (2004). Fundamentos da Matemática Elementar. São Paulo: Atual.

Lima, E. L. et al. (2013). Temas e problemas elementares. Rio de Janeiro: Sociedade Brasileira de Matemática.

Mendes, I. A. (2008). Tendências Metodológicas no Ensino de Matemática. Belém: Ed. UFPA.

Morgado, A. C. O. et al. (2004). Análise Combinatória e Probabilidade. Rio de Janeiro: Sociedade Brasileira de Matemática.

Onuchic, L. R. (1999). Ensino-aprendizagem de Matemática através da resolução de problemas. In: BICUDO, M. A. V. (org.). Pesquisa em Educação Matemática: Concepções & Perspectivas (pp. 199-218). São Paulo: UNESP.

Pessoa, C.; Borba, R.(2009). Quem dança com quem: o desenvolvimento do raciocínio combinatório de crianças de 1ª a 4ª série. ZETETIKÉ, 17(31), (pp. 105-150).

Polya, G. (2006). A Arte de Resolver Problemas. Rio de Janeiro: Interciência.

Robert, A. (1997). Quelques outils d’analyse épistemologique et didactique de connaissances mathématiques à enseigner au lycée et à l’université. In : Actes de la IX école d’été de didactique des mathématiques (pp. 192-212). Houlgate : ARDM.

Downloads

Publicado

2015-12-15

Edição

Seção

Artigos