O ESTUDO DE POLÍGONOS COM O SOFTWARE RÉGUA E COMPASSO METAL

Autores

  • André Tenório Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro / Universidade Federal Fluminense
  • Celso Pinheiro Correia Secretaria de Educação do Estado de Rio de Janeiro / Universidade Federal Fluminense
  • Thaís Tenório Universidade Federal Fluminense

DOI:

https://doi.org/10.17921/2176-5634.2015v8n2p%25p

Resumo

Usar recursos didáticos digitais influencia o processo de ensino-aprendizagem de Matemática. Todavia, há poucos dados sistemáticos sobre seu efeito no desempenho acadêmico do aluno. Neste trabalho foram comparadas duas abordagens de ensino de polígonos – uma tradicional sem manipulação de softwares educativos e outra construtivista com uso do Régua e Compasso (C.a.R.) Metal. Duas turmas de 8º ano do Ensino Fundamental foram comparadas. Os dados estatísticos não foram suficientes para apontar se o modelo didático construtivista com uso do software foi superior ao tradicional. Entretanto, na turma em que o C.a.R.Metal foi usado, os alunos mostraram-se mais interessados e estimulados. Segundo a percepção do docente, o recurso foi benéfico, pois ajudou no entendimento dos conceitos e das propriedades dos polígonos. A maioria dos alunos soube chegar aos resultados das questões pelo software, mas sentiu dificuldade em transpor o desenvolvimento para o papel. O C.a.R.Metal, aparentemente, não foi capaz de auxiliar os alunos a algebrizar as soluções.

Downloads

Publicado

2015-07-11

Edição

Seção

Artigos